Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 19 de maio de 2024         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 19 de maio de 2024

Sermão do Encontro na Paróquia Nossa Senhora da Penha Mãe e Filho se encontram no caminho do calvário

14/04/2022 . Notícias da Paróquia

Na noite do dia 13 de abril, o momento tão esperado é acompanhado por muitos fiéis que tomaram as ruas centrais de Itabira seguindo em procissão levando as imagens do Senhor dos Passos, da Igreja São Geraldo e de Nossa Senhora das Dores, da Igreja Nossa Senhora de Fátima para o Santuário São Geraldo, onde o Padre Ueliton Neves da Silva, pároco, realizou o sermão.

Padre Ueliton Neves da Silva, pároco, dirigiu-se a todos acolhendo-os para este momento de reflexão. Em seu sermão, buscou além de refletir sobre o que se estava acontecendo e presenciado por todos, ainda falou-nos do momento vivido na pandemia, as crises enfrentadas e da campanha da fraternidade.

Eis alguns fragmentos de seu sermão:

Hoje nos reunimos para fazermos memória do encontro de Nosso Senhor Jesus Cristo (o Bom Jesus dos Passos) com sua mãe, a Virgem Maria das Dores no caminho do calvário. Encontro de amor e dor. Encontro de Redenção! Encontro que nos incentiva à aprendizagem do amor verdadeiro na busca do sentido redentor do sofrimento e da cruz. Encontro que nos leva a redimensionar nosso relacionamento com Deus, com o próximo e conosco mesmos. Portanto encontro de Reconciliação que nos faz superar a violência e viver a verdadeira fraternidade, por meio do diálogo, que é sempre compromisso de amor.

Neste tempo de incertezas, dúvidas, inseguranças, violências, guerras, inquietações e crises de todos os níveis (política, educacional, econômica, sanitária etc), proclamamos que a Paixão de Cristo, sua preciosa cruz e suas mãos perfuradas significam segurança para aqueles que creem Nele.

A Campanha da Fraternidade desse ano refletiu sobre a importância da educação. Muitas crianças sofrem para poder ter uma educação de qualidade. E tem que a cada dia carregar as suas cruzes para chegar à escola. E ainda, as mães que sofrem para poder levar os seus filhos para a escola. Que possamos a partir do tema da Campanha da Fraternidade dar mais valor à educação, assumindo o Pacto Global de Educação, feliz iniciativa do Papa Francisco, além de reforçar a educação religiosa de seus filhos que, necessariamente, deve começar na família e ser consolidada na vida comunitária eclesial.

Neste tempo de pandemia, quanto sofrimento, quanta experiência de dor, marcada pelo vazio e pelo abandono. Uma via-sacra vivida por muitos, marcada pelo desespero e com sinais de não ter fim. Quantas vidas ceifadas. Quantos sonhos interrompidos. Quanta falta de sensibilidade por parte de muitos (Por que não lembrar da falta de compromisso de muitos governantes espalhados por este nosso país com a saúde pública, do desvio de recursos que seriam para esta finalidade sendo levados a suprir desejos e necessidades particulares). Quantas mães não puderam nem sequer ver o rosto de seus filhos antes de o sepultarem, nem muito menos puderam velá-los. Quantos filhos sepultaram seus pais de igual maneira. Quanta dor. Quantas pessoas morreram, à semelhança de Jesus, abandonados nos leitos dos hospitais sem nem mesmo ter alguém ao lado que o amasse. Não porque não tinham ninguém, mas como medida sanitária devido a pandemia.”

Texto e fotos: Pascom Paroquial